Podcast 15: Legado

Neste episódio Alexandre Valente, Emmanuel Brandão, Giovanni Bassi, Leandro Daniel e Vinicius Quaiato discutem o tema legado, esse tema surgiu de alguns tweets entre Leandro Daniel , Vinicius Quaiato e Emmanuel Brandão.

Alguns dos temas abordados foram:

  • O que é legado?
  • Código sem teste é legado?
  • Porque manter um legado?
  • Porque migrar um legado?
  • Evoluir ou reescrever um sistema legado?
  • Quem deve identifica um legado?

Links do podcast:

11 thoughts on “Podcast 15: Legado”

  1. Para mim, um legado é um produto que você tenha implementado em algum cliente, e que este produto lhe traga o pensamento de que você já deveria ter outro produto mais novo, com tecnologias mais atuais e arquitetura mais contemporânea no lugar.

    Parabéns pelos podcasts. Contnuem fazendo-os!

  2. Não concordei muito com as definições de legado quando se fala que não agrega mais valor. Acho que é o contrário. Acrescenta sim valor. E por isso ainda usamos o legado. O que caracteriza, eu acho que é a dificuldade em manter por qualquer motivo. Seja por depreciação, seja por falta de teste, etc…

  3. O proprio nome define o que é um legado – antigo, construido ha muito tempo. Pensar que sistema nao testado deve ser classificado como legado é totalmente errado.

    Na pratica, quando falado este nome, pensamos em sistemas de dificil integracao, sistema cujos bancos de dados já nao são comuns no mercado, “spaghetti code”, dificil de sofrer modificacoes etc.

  4. Não entendi os conceitos de vcs sobre legado.
    Por que legado parece ser sempre uma coisa ruim.
    Posso ter um legado bom ou ruim. Concordam?

  5. Legado não tem nada haver com ser antigo ou muito antigo. Legado é uma herança que você deixa, algo que você construiu e vai ser passado para outros depois de você.
    Como o colega acima falou o legado pode ser bom ou ruim, mas em geral quando se menciona código legado no nosso ramo, é com uma conotação negativa (legado ruim), afinal, se for bom não precisaria nem discutir né?
    Posto isso, concordo com o Giovanni, código sem teste, é sim legado, pois o que você vai transmitir para seu “sucessor” é um código pobre, difícil de manter e consequentemente caro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *